Enquete e Stories: as novas funcionalidades do LinkedIn

Modelos de posts - Markle (1)

O LinkedIn lançou recentemente duas novas funcionalidades que podem auxiliar os advogados na divulgação de informações na rede: os Stories e as enquetes.

Confira algumas dicas de como usar as novas ferramentas para aprimorar a divulgação na plataforma.

Stories:

Essa é uma função antiga e bastante utilizada por outras redes sociais como o Facebook, Instagram, entre outros. Recentemente adotada pelo LinkedIn, agora a plataforma profissional apresenta, através do Stories, a possibilidade do uso de vídeos curtos, selfies e fotos.

A vida profissional vai além da jornada das 8h00 às 18h00. Celebramos conquistas e projetos, trocamos informações sobre inovações e os últimos acontecimentos e compartilhamos dados sobre como relaxar após um longo dia de trabalho. O Stories pode ser utilizado para apresentar uma perspectiva diferente da rotina profissional. Use a criatividade, mostre os bastidores do trabalho desenvolvido, apresente um novo membro da equipe e divulgue atividades do cotidiano que tenham relevância para suas conexões.

O uso dos Stories permite ampliar o engajamento com clientes e parceiros, humanizar a imagem do escritório, dar voz aos integrantes e fortalecer a estratégia digital da banca.

Lembrando que alguns cuidados devem ser tomados:

  • Evite comentários sobre temas polêmicos
  • Não publique informações pessoais
  • Respeite a confidencialidade e não publique dados de terceiros sem prévia autorização
  • Cuidado com o overposting. Encontre o equilíbrio entre ausência e constância.
  • Estabeleça um padrão de qualidade elevado. Evite publicar vídeos ou fotos com baixa qualidade para não causar uma má impressão.

Por enquanto, o LinkedIn Stories está disponível apenas no aplicativo móvel da rede social.

Enquetes:

A enquete é mais uma opção para gerar engajamento com os posts publicados no perfil dos usuários do LinkedIn. Elas podem ser usadas para conduzir pesquisas com clientes e de mercado, receber feedback e gerar conversas com as conexões.

Faça perguntas específicas que possam gerar novas ideias. Escutar é a melhor maneira de construir um relacionamento pessoal, principalmente nas redes sociais. Suas conexões se sentirão ouvidas e mais próximas da sua marca. Aproveite o recurso para promover lives, webinars, entre outras atividades. Não esqueça de incluir as hashtags e links.

Confira abaixo alguns exemplos de ações que podem gerar insights valiosos:

  • Perguntar a melhor data para um evento
  • Pesquisar preferências de temas para produção de conteúdo
  • Coletar feedback negativo ou positivo
  • Solucionar dúvidas
  • Adquirir dados geográficos, demográficos e comportamentais dos seguidores.

Existem milhares de opções de perguntas disponíveis para criar enquetes. Pensando nisso, criamos a lista abaixo com alguns exemplos.

  • Qual formato de conteúdo mais lhe agrada?
  • Qual deve ser o tema próximo post?
  • Você gostaria de conhecer um pouco mais sobre a área/setor de atuação?
  • Qual é o horário ideal para publicação em nosso feed?
  • Você está satisfeito com o conteúdo publicado?
  • Você nos conheceu por meio de qual canal?
  • Qual a duração ideal de vídeos para o nosso canal no YouTube?
  • Você já viu o nosso último vídeo no YouTube?
  • Qual é a melhor data para o nosso webinar/live?
  • Qual deve ser o tema de nossa próxima live?
  • Você gostaria de trabalhar conosco?
  • Quais são as principais dificuldades enfrentadas no dia a dia do diretor jurídico?
  • Você já é inscrito para receber nossa newsletter?
  • Em qual rede social você prefere receber as notícias do nosso escritório?
  • Em quais dias da semana você mais utiliza o LinkedIn?
  • Qual é a sua impressão sobre o nosso escritório?
  • Para você, quantos posts diários devemos fazer?

Pronto, agora você já pode começar a explorar as novas funcionalidades oferecidas pelo LinkedIn!

Oportunidades de marketing jurídico em tempos de pandemia

Nem tudo está perdido. Com a pandemia do Covid-19 surgiram novas oportunidades de marketing que podem ser exploradas pelos escritórios para atrair novos negócios, aprimorar o relacionamento com clientes e o branding.  Atualmente, eventos presenciais não são uma opção viável; no entanto, o tráfego online aumentou significativamente desde o começo da pandemia. Em momentos como o que estamos passando o investimento no marketing pode parecer sem sentido, mas é crítico e agora é o momento para investir no marketing digital.

Listamos abaixo algumas ideias para aprimorar a presença e ações das bancas na Internet.

Lives e Webinars

Com a extinção dos eventos presenciais devido ao distanciamento social os escritório estão investindo na realização de Lives e Webinar. Fácil de viabilizar e com baixo custo, essa é uma ótima opção para auxiliar clientes e perspectivas com questões enfrentadas pela crise gerada pela pandemia, entre outros temas. Porém alguns cuidados devem ser tomados. A preparação prévia é fundamental para evitar gafes e problemas durante as transmissões. É importante montar um roteiro para não correr o risco de perder o foco do tema proposto, esquecer informações e falas importantes ou ultrapassar o tempo de duração da transmissão. Um moderador também pode auxiliar na seleção das perguntas enviadas e no direcionamento das respostas. A escolha do tema pode ser decisiva para o sucesso do evento online. Evite ser generalista e foque no público-alvo. Crie Lives específicas para a solução de questões dentro dos principais setores/indústrias de atuação. Antes de divulgar a Live realize testes para checar se tudo está funcionando corretamente.

Artigos e Comunicados

Os escritórios têm produzido grandes quantidades de conteúdo sobre a pandemia do Covid-19 tornando difícil destacar-se diante da concorrência. A homogeneidade pode ser cansativa para leitores e clientes que acabam recebendo diariamente um volume excessivo de dados sobre os mesmos tópicos. Para alcançar o público-alvo e gerar novas oportunidades de negócios, os advogados devem adotar uma abordagem diferente. Não escreva para todos. Tenha em mente uma pessoa específica com um cargo específico e produza algo que atenda às necessidades desse público. Se você definiu claramente o posicionamento para a sua área de atuação – sabe o que faz e para quem – será mais fácil criar e contextualizar conteúdos significativos. Trabalhe os títulos, pois a eficácia do seu título determinará a eficácia do artigo. Não gaste muito tempo discorrendo sobre o que aconteceu. Explique por que o fato foi relevante. Aposte na repercussão e evolução dos temas abordados.

Para mais informações e dicas acesse: https://marklecomunicacao.wordpress.com/2020/04/02/como-evidenciar-artigos-referentes-a-pandemia-do-coronavirus-quando-todos-estao-debatendo-os-mesmos-temas/

Recomendações

As avaliações são uma parte importante da estratégia de marketing jurídico. Normalmente os advogados ficam apreensivos e não gostam de solicitar recomendações por medo de que elas não reflitam a mensagem que desejam transmitir ou para evitar incomodar os clientes. Nesse momento os escritórios não devem ignorar a importância das recomendações, pois elas são decisivas no processo de seleção e contratação das bancas, por isso elabore uma estratégia para obter recomendações. Os advogados podem criar modelos de e-mails para solicitar recomendações no LinkedIn para clientes satisfeitos e avaliações no Google referentes ao trabalho executado pelo escritório.

 

 

 

Como evidenciar artigos referentes a pandemia do coronavírus quando todos estão debatendo os mesmos temas?

Os escritórios têm produzido grandes quantidades de conteúdo sobre a pandemia do covid-19 tornando difícil destacar-se diante da concorrência. A homogeneidade pode ser cansativa para leitores e clientes que acabam recebendo diariamente um volume excessivo de dados sobre os mesmos tópicos.

Ter uma página no site, dedicada ao Covid, e alimentada periodicamente com conteúdo relevante é um requisito fundamental, mas para os advogados, que precisam manter-se como “Top of Mind” apesar da necessidade de distanciamento social, produzir artigos sobre temas exaustivamente abordados pode ser a receita ideal para o esquecimento. Para alcançar o público-alvo e gerar novas oportunidades de negócios, os advogados devem adotar uma abordagem diferente.

Na assessoria aos nossos clientes na elaboração de conteúdo, nas últimas semanas, tivemos a chance de analisar o que funciona e o que não funciona. Seguem algumas sugestões que podem aprimorar a produção dos textos:

Conheça o público-alvo

Não escreva para todos. Tenha em mente uma pessoa específica com um cargo específico e produza algo que atenda às necessidades desse público. Lute contra a crença instintiva de que a melhor maneira de alcançar a audiência almejada é escrever algo que seja amplamente relevante. Em vez disso, confie na produção de um artigo com escopo restrito que terá impacto mais significativo. Se você definiu claramente o posicionamento para a sua área de atuação – sabe o que faz e para quem – será mais fácil criar e contextualizar conteúdos significativos.

Trabalhe os títulos

A pressa para publicar os artigos antes da concorrência pode prejudicar a qualidade dos títulos. Um título forte e exclusivo é fundamental para a atração inicial e retenção dos leitores. Estatísticas mostram que, em média, 8 em cada 10 pessoas lerão o título, mas apenas 2 em cada 10 lerão o restante do texto. Por isso, a eficácia do seu título determinará a eficácia do artigo. A chave para escrever um título atraente é conhecer o público. Quando confrontados com 60 artigos discutindo, por exemplo, isenções tributárias, o título que menciona um setor específico terá mais chances de receber o clique.

Aborde as implicações da informação

Não gaste muito tempo discorrendo sobre o que aconteceu. Explique por que isso foi relevante. Novamente, isso exige conhecimento do público-alvo (tudo no marketing jurídico está diretamente relacionado ao posicionamento).

Vivemos uma era de abundância de informação e provavelmente não é possível derrotar os veículos de comunicação na divulgação das notícias. O ideal é fazer uma pausa e considerar as implicações das informações, não apenas resumi-las. Portanto, não tente ser o primeiro. Aproveite o tempo necessário para traçar um roteiro baseado na repercussão e evolução dos temas legislativos e regulatórios.

Envie para veículos externos

Os veículos de comunicação, já sob intensa pressão econômica antes do COVID-19, estão sendo atingidos ainda mais. Eles também estão lidando com a redução de publicidade, o que pode resultar em demissões e menos recursos. Ao mesmo tempo, o apetite por conteúdo confiável nunca foi tão elevado.

Para os escritórios, que agora precisam contar com o marketing como um dos únicos meios para alavancar os negócios, nunca houve um momento melhor para lançar e publicar conteúdo em plataformas externas bem-conceituadas. No entanto, na pressa de ser o primeiro, a maioria está simplesmente publicando os dados no site. Com esforço extra, é possível atingir públicos maiores e mais direcionados por meio de uma estratégia inteligente de assessoria de imprensa.

Etiquetado

Estratégias de redes sociais para escritórios de advocacia

Atualmente os escritórios não têm escolha sobre ter ou não presença nas redes sociais. A questão agora é quão bem cada escritório utiliza os recursos disponíveis. Embora a estratégia seja diferente para todas as bancas, existem táticas gerais que comprovadamente funcionam. Se o seu escritório deseja melhorar a performance ou não está vendo resultados com a atual estratégia implementada, nossas dicas irão ajuda-lo a alcançar vantagem competitiva. Confira o nosso checklist e descubra se você está caminhando na direção correta:

  1. Defina seu público:

A parte mais importante do planejamento é conhecer o público-alvo. Todas as ações devem ser elaboradas para nutrir e aumentar os seguidores das páginas. O escritório deve detalhar minuciosamente o perfil de quem pretende alcançar. Vá além das generalizações. A banca não deve focar apenas em “empresas que precisam de um advogado/escritório de advocacia”, mas em “Empresas atuantes no Estado de São Paulo que recentemente decretaram falência e podem estar em busca de um advogado/escritório especializado na área de Recuperação Judicial”.

  1. Selecione a (s) plataforma (s):

A criação do perfil do público ideal deve auxiliar o escritório na escolha das redes sociais que serão utilizadas. Por exemplo, se o seu público for composto por empresas, elas provavelmente estão no LinkedIn, no Facebook e no Twitter. Se a banca quer atrair millennials (divulgação de vagas) e Startups, Fintechs, etc, o Instagram pode ser uma boa rede para explorar. É importante escolher de uma a três plataformas, pois operar bem em uma ou duas é melhor do que para executar uma presença ruim em cinco ou seis. Para mais informações sobre o tema acesse: https://marklecomunicacao.wordpress.com/2019/01/23/qual-a-rede-social-mais-indicada-para-os-escritorios-de-advocacia/

  1. Defina metas claras e realistas:

É fundamental ter metas claras e específicas ao planejar a estratégia. Por exemplo, o escritório deseja gerar mais acessos ao site ou aumentar seus seguidores em uma plataforma específica? Quer aumentar os contatos do mailing list para o recebimento dos comunicados elaborados pela equipe ou precisa divulgar uma nova área de atuação? Aumentar a quantidade de seguidores da Fan Page do Facebook não é um objetivo claro. Aumentar em 20% a quantidade de seguidores da Fan Page do Facebook nos próximos 60 dias” é claro e mensurável.

  1. Crie políticas de respostas para o público das páginas:

Elabore respostas consistentes que representem os princípios e o compromisso do escritório com seus clientes. É especialmente importante que todos os envolvidos saibam como lidar comentários negativos, pois responder indevidamente a comentários negativos pode prejudicar a reputação da banca.

  1. Mensure os resultados:

Para obter o sucesso almejado o escritório deve acompanhar os resultados obtidos. É preciso observar o crescimento do público-alvo, quais conteúdos geram maior engajamento, o tráfego gerado para o site e os leads e conversões gerados pelas redes sociais. É provável que existam outras métricas que possam ser mensuradas dependendo da atuação da banca e dos objetivos estipulados. Para mais informações sobre o tema acesse: https://marklecomunicacao.wordpress.com/2018/10/03/como-mensurar-o-desempenho-do-marketing-digital-do-seu-escritorio/

Com tantas plataformas diferentes disponíveis, cada uma com suas características e peculiaridades específicas, pode ser um desafio criar um plano sólido, mas é um trabalho necessário. Pior do que não ter uma sólida presença nas redes sociais é ter uma presença ineficaz. Uma estratégia bem elaborada pode ser o que falta para o seu escritório brilhar no ambiente digital!

Priscilla Adaime é sócia da Markle Comunicação e especialista em Marketing Digital.

Para obter mais informações sobre marketing jurídico siga a página da Markle Comunicação e Marketing Jurídico no LinkedIn e Facebook.

www.markle.com.br

Hashtags: 6 dicas para usar com sabedoria

Hashtag é a junção de duas palavras em inglês: hash, que significa jogo da velha e tag que quer dizer etiqueta. As hashtags são palavras-chaves procedidas pelo símbolo # que cria hiperlinks para agrupar os posts publicados nas redes sociais. Elas categorizam e organizam o conteúdo. Ou seja, esta é uma maneira bem mais prática de agrupar diversos conteúdos sobre um determinado tema, facilitando a pesquisa posterior sobre o tópico desejado.

Confira nosso infográfico com dicas básicas para usar as Hashtags.

make connections-2

 

 

Qual a rede social mais indicada para os escritórios de advocacia?

Existem diversas redes sociais disponíveis para a divulgação dos escritórios, mas como saber qual é a rede adequada para divulgara sua banca? Abaixo apresentamos cada uma delas, suas características e as vantagens que proporcionam de acordo com o perfil de cada escritório.

LinkedIn:

O LinkedIn é uma rede social de negócios focada no desenvolvimento de relações profissionais, onde os escritórios podem desenvolver o marketing B2B (feito de empresa para empresa). A rede promove o compartilhamento de experiências corporativas e conquistas profissionais, para assim gerar negócios e criar oportunidades. É o ambiente prefeito para a divulgação de escritórios e advogados que prestam serviços para empresas (pessoa jurídica) e almejam divulgar informações relevantes para diretores jurídicos e C-levels.

Facebook:

O Facebook é uma plataforma utilizada tanto por pessoas físicas quanto pessoas jurídicas. Apesar de não ser uma rede voltada apenas para negócios ela também pode ser utilizada para o B2B. O ideal é criar uma estratégia específica, menos comercial e mais pessoal, e evitar apenas replicar os posts publicados na Company Page do LinkedIn. Para os escritórios que atendem apenas empresas a Fan Page é bastante indicada para o desenvolvimento do branding. O artigo Facebook vs. LinkedIn: Which Is Better for B2B Marketing?criado pela Element Threeapresenta uma ótima análise sobre as principais diferenças do marketing B2B  no LinkedIn e no Facebook.

Twitter:

O twitter é um “microblog” que promove a interação social. Os usuários compartilham informações através de mensagens curtas (140 caracteres), determinam os Trend Topics, assuntos mais populares, e dividem interesses comuns pelas hashtags. Para obter sucesso no twitter os escritórios devem publicar conteúdo voltado para os clientes e não apenas noticias e informações sobre suas atividades e as atividades de seus advogados. De acordo com o artigo How can law firms use Twitter for business development?é uma ótima plataforma para demonstrar conhecimento profissional e posicionar-se como um especialista e líder em sua área de atuação. O re-“twett”, conhecido popularmente como RT, é mais uma opção para os escritórios que desejam manter a página atualizada. Através de updates de outras contas é possível alimentar a página e diversificar o tipo de conteúdo divulgado.

Instagram:

O Instagram é basicamente uma plataforma baseada em imagens. Os usuários postam fotos ou vídeos curtos acompanhados de legendas ou hashtags. Apesar de ser uma rede social popular a audiência e comportamento (maioria de mulheres e jovens) não representam a melhor oportunidade de investimento para os escritórios de advocacia. As exceções podem incluir bancas que concentram-se na geração dos millennials, ou aqueles que por acaso têm acesso a excelentes fotógrafos ou designers gráficos. É claro que os escritórios de advocacia com grandes orçamentos não devem hesitar em investir em um plano de marketing para o Instagram, mas as bancas que não têm orçamento e tempo devem descartar essa plataforma.

YouTube

O YouTube é uma rede de compartilhamento de vídeos. O vídeo é uma das opções de marketing de conteúdo que mais cresce e gera maior engajamento nas redes sociais, no entanto, também é muito fácil errar ao utilizar o vídeo. Para os escritórios de advocacia a produção dos vídeos pode significar um grande desafio. A qualidade é fundamental, por isso é muito importante contratar um profissional experiente para criar, produzir e editar as imagens. Vídeos caseiros podem gerar o efeito oposto. Outro fator relevante é a linguagem utilizada, ela deve ser acessível. Os vídeos devem ser curtos e objetivos. No YouTube a periodicidade também é importante para gerar fidelização do público, pois quanto maior o número de seguidores, maior será a relevância do seu canal na plataforma.

As redes sociais demandam tempo, dedicação para a produção de conteúdos específicos e a criação de estratégias alinhadas aos objetivos de cada escritório. Atualmente a presença online é fundamental e indispensável, mas sem planejamento não produzirá o retorno almejado, portanto avalie qual é a mais adequada antes de criar as contas. Uma página mal alimentada pode ser um tiro no pé.

Etiquetado , , , ,

Como mensurar o desempenho do marketing digital do seu escritório

Diferentemente do marketing de produtos (B2C), mensurar o resultado dos investimentos no marketing de conteúdo (B2B), principal estratégia utilizada pelos escritórios de advocacia para divulgar seu expertise e atividades, pode ser um desafio.

Para atrair negócios, realizar a prospecção através da produção de conteúdo e tornar-se uma referência em seu segmento e área de atuação as bancas passaram a investir na produção de conteúdo, mas muitos escritórios têm dificuldade para mensurar o resultado dos esforços realizados.

Algumas medidas podem ser usadas para calcular o retorno do investimento no marketing de conteúdo e saber se a estratégia elaborada está trazendo o resultado almejado. Porém é fundamental definir os objetivos da sua estratégia de Marketing de Conteúdo para realizar a mensuração dos resultados da forma correta. Seguem abaixo os principais objetivos utilizados pelos escritórios e algumas dicas para a mensuração das ações:

  1. Aumento do reconhecimento da marca (Placa)

Se o seu objetivo for a conscientização da marca, você precisa mensurar o aumento nas menções ao escritório e dos seguidores das redes sociais ao longo do tempo (novos leads). Utilize ferramentas (relatórios das redes sociais) para acompanhar as menções a marca e verifique se há um aumento de citações positivas. Você também deve avaliar o engajamento geral e incluir as métricas no relatório de análise de resultados das redes sociais.

  1. Gerar tráfego para o site

Acompanhe o engajamento pós-clique, através do Google Analytics, para verificar o número de cliques gerados no site pelas redes sociais. Acesse mês a mês para avaliar o desempenho e se é necessário realizar ajustes na estratégia adotada.

  1. Gerar novos leads para envio de informativos

Para gerar novos leads você deve incluir no site um formulário onde os visitantes possam realizar um cadastro para receber os comunicados produzidos ou utilizar os formulários pagos oferecido por algumas redes sociais para ampliar o mailing. A mensuração é feita através dos relatórios gerados pelos disparadores de e-mail marketing.

  1. Adquirir novos clientes

No caso de uma meta de desenvolvimento de negócios, crie campanhas para o patrocínio de posts nas redes sociais, use o Google Analytics para acompanhar as visitas dos usuários, e qual a origem (página de referência).

O principal objetivo dos escritórios com o marketing digital é gerar conversões. Uma conversão acontece quando um visitante do seu site ou seguidor das redes sociais conclui alguma ação que você deseja que ele complete. Portanto uma conversão pode ser um novo cadastro no mailing list do escritório, em um evento ou webinar ou o agendamento de uma reunião.

Lembre-se sempre de acompanhar as métricas das redes sociais, campanhas patrocinadas, relatórios de disparo de e-mail marketing e dados do Google Analytics independentemente do alcance da meta. Isso permitirá que você saiba se uma estratégia anteriormente bem-sucedida não é mais tão útil ou irá ajudá-lo a descobrir por que ocorreu um aumento repentino no engajamento.

Priscilla Adaime é sócia da Markle Comunicação e especialista em Marketing Digital.

Para obter mais informações sobre marketing jurídico siga a página da Markle Comunicação e Marketing Jurídico no LinkedIn e Facebook.

www.markle.com.br

Etiquetado
%d blogueiros gostam disto: