Marketing Jurídico: dá para investir na crise?

Por Tatiana Cintra*

Muitos escritórios têm reduzido verbas de forma geral, inclusive diminuindo ou até zerando investimentos na área de marketing e relacionamento com o cliente. E esse é um caminho bem perigoso. Pois, é justamente em momentos de turbulência e dificuldades no mercado, que uma banca deve ter em mente um planejamento sólido de ações para continuar a ter visibilidade junto a possíveis prospects, formas de estreitar laços com parceiros e fidelizar seu corpo de clientes.

O caminho é pensar em um planejamento inteligente, em ações de marketing que possam ser mensuradas, principalmente entender o que seus clientes têm interesse e focar em iniciativas que funcionem, fazendo mais com menos.

Hoje, com as ferramentas que a tecnologia dispõe, ao enviar um comunicado ao seu mailing, postar novidades nas redes sociais ou website, escrever um artigo em blogs e jornais, estamos diante de canais que fornecem relatórios e acompanhamento de leads em tempo real, com dados que indicam o que funciona, o que seu público tem interesse.

Outros canais como a mídia, na concessão de entrevistas e publicação de artigos ou ainda a participação em palestras, são iniciativas que também podem ser medidas, ao se levar em conta público atingido, qualidade desse e retorno posterior, como agendamento de reuniões ou troca de cartões.

A ideia é ter como um dos seus principais pontos, o foco em ações de relacionamento com seu cliente, iniciativas que lhe mantenham em contato permanente e reforcem que a empresa fez bom negócio em contratar o seu escritório como representante jurídico.

Afinal, a propaganda do seu cliente sobre um bom atendimento, a demonstração de bons resultados, a experiência e conhecimento em diversos segmentos, formam um dos conjuntos mais atrativos na venda de uma banca quando uma empresa pretende escolher um escritório.

E ainda que o faturamento seja reduzido nesse ano de crise, o escritório precisa ter como ideal permanente, a previsão de um percentual fixo do faturamento bruto do escritório para ações de marketing.

Considerando o tamanho de cada escritório, cerca de 2 a 2,5% da receita bruta devem ser direcionados para o planejamento de marketing. Percentual que bem aplicado, com ações personalizadas, de acordo com o perfil e perspectivas da banca, geram retorno sempre.

Assim, planeje e faça boas escolhas em conjunto com o marketing, elabore um planejamento inteligente que não perca dinheiro em ações que não são mensuráveis. Quanto mais iniciativas você realizar, mais clientes e receitas você irá trazer.

* Tatiana Cintra é consultora da Markle Comunicação e especialista em Marketing Jurídico. Possui experiência de 7 anos, na gerência de equipe em escritórios de grande porte (full service) em São Paulo e de cerca de 10 anos em ações na área de marketing & comunicação, no setor de serviços, comércio e indústria (B2B e B2C).

Cursou Especialização em Planejamento Estratégico, pela London Business School, em Londres, UK (2013). É bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, pela USJT (2002) e Pós Graduada em Comunicação Empresarial, pela FIAM (2009) e em Marketing, pela FAAP – Fundação Álvares Penteado (2012).

Anúncios
Etiquetado , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: