Arquivo mensal: setembro 2016

Cinco motivos para advogados e escritórios adotarem o uso profissional das redes sociais

Por Tatiana Cintra*

Profissionais do direito e escritórios de advocacia têm muito a ganhar com canais profissionais de mídia social. Isso porque, ao contrário de outros segmentos, a natureza da advocacia é essencialmente social. Relacionamento e interações, sejam elas com clientes e colegas de profissão, são fortes impulsionadoras para a realização do trabalho do dia a dia e desenvolvimento de novos negócios.

No meio jurídico, relacionamentos de longo prazo com clientes e pares, geralmente são construídos através de características como conhecimento, liderança intelectual, integridade e confidencialidade, pilares que podem ser facilmente expressos e reforçados nas redes.

Recente, li uma pesquisa mundial da Hootsuite, uma empresa de monitoria de redes sociais e websites com mais de 10 milhões de clientes, sobre cinco pilares eficazes no uso das mídias sociais por escritórios de advocacia. E os itens listados, compartilham muito sobre o que tenho visto de positivo no Brasil.

1. Seja referência sobre qualquer tema nas redes

Muitos advogados e escritórios apropriam-se positivamente de algum tema novo ou pouco explorado no Direito e criam ganchos para publicar textos interessantes sobre, transformando-se em referência no tema, verdadeiros influenciadores nas redes e consequentemente no mercado, atuando como palestrantes em eventos jurídicos e empresariais.

E aqui não falo somente de escritórios ou advogados com bom número de seguidores em uma página, mas sim de engajamento do público do que é publicado, como quantidade de curtidas e compartilhamentos das postagens, comentários, mensagens e outras interações. É o famoso ditado: “só é lembrado, quem é visto”.

No exterior, essa prática já é muito utilizada, mas no Brasil, o que vemos é que muitos escritórios e advogados, ainda não sabem aproveitar todo o potencial de sua presença digital.

Os advogados que já entenderam a relevância e exploram todo o potencial do LinkedIn e outras redes, criam voz e forte presença digital nas redes sociais, deixando para trás os seus principais concorrentes.

2. Use todo o potencial de monitoramento da rede 

No Brasil, poucos escritórios e advogados se utilizam dos “alertas” de buscadores, como o Google, ou de empresas de monitoramento e clipping para monitorar questões chaves que envolvam seus clientes, concorrentes e mercados.

Essas ferramentas, se bem planejado os temas e palavras-chaves a serem levantados diariamente, proporcionam a entrega de informações relevantes de forma fácil, rápida e condensada dos principais jornais, revistas e agências de notícias, incluindo dados corporativos, tendências e comentários em sites e mídias sociais, além de discussões em torno de casos ou clientes.

Essas soluções economizam um dos ativos mais preciosos nos dias de hoje: tempo. Além de proporcionar que o escritório e advogados estejam constantemente atualizados, podendo assim, antecipar indagações e demandas de clientes.

3. Saber aproveitar com inteligência as informações  

Uma pesquisa recente da Thomson Reuters, aponta que é crescente o acompanhamento de posts em redes sociais e blogs de autoria de advogados, por integrantes do jurídico de empresas, como modo de se atualizar sobre novidades, tão frequentemente já, como o da leitura de canais de jornalistas profissionais.

Sendo assim, não basta somente receber as informações dos clippings e monitoramento, ler e não rentabilizar sobre o conteúdo. É preciso que escritórios e advogados compartilhem bons conteúdos, produzam textos relevantes e aprendam a ser inteligentes com as informações.

4. Aproveite ao máximo qualquer conteúdo elaborado  

Muitos advogados escrevem posts e textos e publicam somente em um canal, quando na verdade o ideal é que ele seja propagado em todos os meios disponíveis, de forma a atingir públicos distintos, aumentando seu poder de alcance.

No caso de artigo, por exemplo, o advogado pode publicar em um jornal tradicional, mas replicá-lo no site do escritório, na sua página do Linkedin, Facebook, Twitter, entre outros.

5. Pesquisas nas redes sociais

A internet e mídias sociais são excelentes fontes de informação não somente para comunicação, relacionamento e prospecção, mas ainda, possuem papel fundamental para que o advogado possa reunir rapidamente uma quantidade considerável de informações relevantes como por exemplo: antecedentes criminais, processos em andamento, filiações políticas, fotos, posts e comentários, da parte contrária de um processo, de testemunhas e jurados, entre outros. O Google é o detetive virtual desse século, dificilmente uma pessoa não estará na rede.

Como colocar em ação sua atuação nas redes sociais 

Somos a única agência realmente especializada em marketing jurídico, tendo como diferencial um time de consultores com mais de 10 anos de experiência em departamentos de marketing e comunicação de renomados escritórios de advocacia full service.

Realizamos planejamento de redes sociais e gestão de perfil, conteúdo patrocinado, treinamento de equipe, além de websites e newsletter.

Para obter mais informações sobre outros serviços na área de marketing jurídico, siga a página da Markle Comunicação e Marketing Jurídico no LinkedIn e acesse o nosso Blog.

Também estamos com visual novo! Nosso site foi totalmente repaginado. Faça uma visita e confira: http://www.markle.com.br

Tatiana Cintra é consultora da Markle Comunicação e especialista em Marketing Jurídico.

 

Responda 20 perguntas e desenvolva a estratégia do seu escritório nas redes sociais

redes-sociais-para-venda-de-imoveis

Por Priscilla Adaime*

Começar atividades de marketing sem antes delinear uma estratégia é um erro que muitos escritórios cometem. Ao desenvolver o plano de ação para as atividades da banca nas redes sociais é fundamental pensar nas questões apresentadas abaixo:

  • Quem é o seu público-alvo?
  • Porque você deseja usar as redes sociais?
  • O que você deseja conquistar?
  • Quais redes sociais você vai usar?
  • Quando você irá publicar os posts para garantir aproveitamento máximo?
  • Como você irá executar o plano e medir os resultados?

Agora é o momento de responder as 20 perguntas listadas abaixo para garantir que você está desenvolvendo uma estratégia efetiva para ajudá-lo a conquistar todas as metas de marketing estabelecidas para o seu escritório.

  1. Porque participar das redes sociais?
  1. O que espera conquistar?
  1. Quais áreas de atuação deseja promover?
  1. Qual é o seu mercado-alvo?
  1. Qual plataforma o seu mercado-alvo utiliza?
  1. Qual informações são mais importante para o seu mercado-alvo?
  1. Quais eventos são importantes para o seu mercado-alvo?
  1. Como ajudar suas perspectivas a resolver problemas jurídicos?
  1. Qual caminho seu “prospect” segue desde a busca até a aquisição de serviços jurídicos (ciclo de vendas)?
  1. Onde entram as redes sociais no ciclo de vendas?
  1. Qual linguagem você deve usar nos posts?
  1. Que emoções deseja despertar através dos textos e do material visual publicado?
  1. Qual a frequência de publicação dos posts?
  1. Qual tipo de conteúdo você deve postar em cada plataforma?
  1. Qual tipo de conteúdo suporta melhor a sua meta de marketing?
  1. Onde você vai encontrar esse conteúdo de forma consistente em longo prazo?
  1. Quais recursos você possui para investir nas redes sociais?
  1. Quem ficará responsável pelo desenvolvimento do plano?
  1. Como integrar as redes sociais as outras atividades de marketing?
  1. Como definir o sucesso e medir o ROI?

Criado e realizado de forma correta, o plano de ação para as redes sociais pode auxiliar na conexão dos escritórios com referências e perspectivas. Talvez essa interação nunca existisse se não fosse pelas atividades das bancas nas redes, que também podem direcionar o engajamento para outros canais como, por exemplo, o blog, site, newsletter, entre outros. Não comece a empreitada sem planejamento.

* Priscilla Adaime é sócia da Markle e especialista em marketing jurídico.

Sobre a Markle

Os consultores da Markle possuem mais de 10 anos de experiência em renomados escritórios de advocacia e estão aptos a prestar assistência para as bancas e advogados na divulgação de suas atividades nas redes sociais. Executamos a criação, manutenção e gerenciamento dos perfis através da administração dos posts, do monitoramento de comentários e da publicação de conteúdo.

Para obter mais informações sobre marketing jurídico siga a página da Markle Comunicação e Marketing Jurídico no LinkedIn e acesse o nosso Blog.

Também estamos com visual novo! Nosso site foi totalmente repaginado. Faça uma visita e confira: http://www.markle.com.br

Escritório de advocacia: como obter sucesso e seguidores no LinkedIn

Por Fernando Nieto*

Dando continuidade ao último artigo, seguiremos apresentando dicas práticas de como potencializar o uso das 3 principais redes sociais existentes: Twitter, Facebook e LinkedIn. Hoje, falaremos por fim sobre o LinkedIn:

Passo um: Preencha o seu perfil completamente.

O LinkedIn pode trazer grandes vantagens e retorno aos usuários que preenchem seus perfis completamente. Durante o preenchimento, uma barra auxiliar vai indicando a quantidade de informação enviada e quais dados faltam aperfeiçoar seu perfil.

Quanto mais dados você adicionar, mais fácil será para alguém encontrar seus serviços.

Adicione uma foto para sua capa e outra foto para seu perfil. Inclua seu site e as principais práticas ou indústrias com as quais seu escritório está envolvido.

Passo dois: Compartilhe o link do perfil criado no LinkedIn através de outras mídias sociais e ações de e-mail marketing.

Passo três: Coloque um botão “Seguir” do LinkedIn em seu site e em sua assinatura de e-mail.

Passo quatro: Convide todas as pessoas e empresas do seu círculo profissional para se juntar ao LinkedIn e seguir sua página. Muito importante fazer um comunicado interno a todos os colaboradores para que, além de seguir e compartilhar a página do escritório, que também adicionem em seus respectivos currículos descrevendo a experiência atual com o escritório. Quando os funcionários forem adicionar seu atual empregador no LinkedIn, seu logotipo já aparecerá no perfil e os conectará diretamente com a página corporativa recém criada.

Passo cinco: A principio aceite solicitações de todos os pedidos que chegarem para sua página pois eles poderão endossar suas habilidades, compartilhar o seu perfil para a própria rede e expandir seu alcance.

Você deve começar tendo como meta ao menos 500 conexões em seu perfil.

Quanto ao envio de solicitações de conexão, procure modificar a mensagem padrão que o LinkedIn oferece para algo mais personalizado a fim de aumentar as chances do seu pedido ser aceito.

E lembre-se: Qualquer rede social é sempre imprescindível ser atuante, trazer discussões, compartilhar bons assuntos. Interagir, sem ser invasivo, é a palavra de ordem.

* Fernando Nieto é especialista em Marketing Jurídico e consultor da Markle.

Para obter mais informações sobre marketing jurídico siga a página da Markle Comunicação e Marketing Jurídico no LinkedIn e acesse o nosso Blog.

Também estamos com visual novo! Nosso site foi totalmente repaginado. Faça uma visita e confira: http://www.markle.com.br

%d blogueiros gostam disto: