Cinco motivos para advogados e escritórios adotarem o uso profissional das redes sociais

Por Tatiana Cintra*

Profissionais do direito e escritórios de advocacia têm muito a ganhar com canais profissionais de mídia social. Isso porque, ao contrário de outros segmentos, a natureza da advocacia é essencialmente social. Relacionamento e interações, sejam elas com clientes e colegas de profissão, são fortes impulsionadoras para a realização do trabalho do dia a dia e desenvolvimento de novos negócios.

No meio jurídico, relacionamentos de longo prazo com clientes e pares, geralmente são construídos através de características como conhecimento, liderança intelectual, integridade e confidencialidade, pilares que podem ser facilmente expressos e reforçados nas redes.

Recente, li uma pesquisa mundial da Hootsuite, uma empresa de monitoria de redes sociais e websites com mais de 10 milhões de clientes, sobre cinco pilares eficazes no uso das mídias sociais por escritórios de advocacia. E os itens listados, compartilham muito sobre o que tenho visto de positivo no Brasil.

1. Seja referência sobre qualquer tema nas redes

Muitos advogados e escritórios apropriam-se positivamente de algum tema novo ou pouco explorado no Direito e criam ganchos para publicar textos interessantes sobre, transformando-se em referência no tema, verdadeiros influenciadores nas redes e consequentemente no mercado, atuando como palestrantes em eventos jurídicos e empresariais.

E aqui não falo somente de escritórios ou advogados com bom número de seguidores em uma página, mas sim de engajamento do público do que é publicado, como quantidade de curtidas e compartilhamentos das postagens, comentários, mensagens e outras interações. É o famoso ditado: “só é lembrado, quem é visto”.

No exterior, essa prática já é muito utilizada, mas no Brasil, o que vemos é que muitos escritórios e advogados, ainda não sabem aproveitar todo o potencial de sua presença digital.

Os advogados que já entenderam a relevância e exploram todo o potencial do LinkedIn e outras redes, criam voz e forte presença digital nas redes sociais, deixando para trás os seus principais concorrentes.

2. Use todo o potencial de monitoramento da rede 

No Brasil, poucos escritórios e advogados se utilizam dos “alertas” de buscadores, como o Google, ou de empresas de monitoramento e clipping para monitorar questões chaves que envolvam seus clientes, concorrentes e mercados.

Essas ferramentas, se bem planejado os temas e palavras-chaves a serem levantados diariamente, proporcionam a entrega de informações relevantes de forma fácil, rápida e condensada dos principais jornais, revistas e agências de notícias, incluindo dados corporativos, tendências e comentários em sites e mídias sociais, além de discussões em torno de casos ou clientes.

Essas soluções economizam um dos ativos mais preciosos nos dias de hoje: tempo. Além de proporcionar que o escritório e advogados estejam constantemente atualizados, podendo assim, antecipar indagações e demandas de clientes.

3. Saber aproveitar com inteligência as informações  

Uma pesquisa recente da Thomson Reuters, aponta que é crescente o acompanhamento de posts em redes sociais e blogs de autoria de advogados, por integrantes do jurídico de empresas, como modo de se atualizar sobre novidades, tão frequentemente já, como o da leitura de canais de jornalistas profissionais.

Sendo assim, não basta somente receber as informações dos clippings e monitoramento, ler e não rentabilizar sobre o conteúdo. É preciso que escritórios e advogados compartilhem bons conteúdos, produzam textos relevantes e aprendam a ser inteligentes com as informações.

4. Aproveite ao máximo qualquer conteúdo elaborado  

Muitos advogados escrevem posts e textos e publicam somente em um canal, quando na verdade o ideal é que ele seja propagado em todos os meios disponíveis, de forma a atingir públicos distintos, aumentando seu poder de alcance.

No caso de artigo, por exemplo, o advogado pode publicar em um jornal tradicional, mas replicá-lo no site do escritório, na sua página do Linkedin, Facebook, Twitter, entre outros.

5. Pesquisas nas redes sociais

A internet e mídias sociais são excelentes fontes de informação não somente para comunicação, relacionamento e prospecção, mas ainda, possuem papel fundamental para que o advogado possa reunir rapidamente uma quantidade considerável de informações relevantes como por exemplo: antecedentes criminais, processos em andamento, filiações políticas, fotos, posts e comentários, da parte contrária de um processo, de testemunhas e jurados, entre outros. O Google é o detetive virtual desse século, dificilmente uma pessoa não estará na rede.

Como colocar em ação sua atuação nas redes sociais 

Somos a única agência realmente especializada em marketing jurídico, tendo como diferencial um time de consultores com mais de 10 anos de experiência em departamentos de marketing e comunicação de renomados escritórios de advocacia full service.

Realizamos planejamento de redes sociais e gestão de perfil, conteúdo patrocinado, treinamento de equipe, além de websites e newsletter.

Para obter mais informações sobre outros serviços na área de marketing jurídico, siga a página da Markle Comunicação e Marketing Jurídico no LinkedIn e acesse o nosso Blog.

Também estamos com visual novo! Nosso site foi totalmente repaginado. Faça uma visita e confira: http://www.markle.com.br

Tatiana Cintra é consultora da Markle Comunicação e especialista em Marketing Jurídico.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: