Arquivo da categoria: LinkedIn

Email marketing x mídias sociais

infohj

Anúncios

Escritórios de advocacia: quem tem medo de mídias sociais?

Por Juliana Leão*

Um questionamento comum entre os advogados é sobre o risco da presença do escritório nas mídias sociais. É claro que, ao divulgar qualquer marca nestes canais, você abre espaço para a interação direta com o público e, nesta troca, poderá ocorrer comentários negativos. Mas, se você está atento a estas ferramentas e interagir de forma correta, não há o que temer.

Neste artigo, você encontrará algumas dicas sobre boas práticas em relação a esse tema, afinal estar fora das redes sociais já não é uma opção nos dias de hoje:

  • As mídias sociais refletem as atitudes do seu escritório: por isso, em primeiro lugar, é preciso avaliar como é a atuação da banca atualmente – ela oferece um ótimo serviço para os clientes? Tem bons profissionais? Valoriza os funcionários? – Parece básico, mas se um escritório não tem uma boa conduta no dia a dia, certamente ouvirá críticas na redes sociais (e fora delas também).
  • Bom senso é tudo: e não apenas para as mídias sociais, mas para o marketing digital como um todo. Por isso, fazer uma boa curadoria de conteúdo, evitar emitir opiniões pessoais sobre temas polêmicos ou qualquer tipo de postagem que possa ser mal interpretada, é muito importante.
  • Esteja atento às redes: eleja uma pessoa para ser responsável por gerenciar as páginas do escritório. Estabeleça regras como bloquear a postagem direta na página para pessoas externas, quem irá responder às mensagens e comentários, tempo de resposta, entre outras. Não crie uma página somente por criar. É fundamental publicar conteúdo relevante e gerenciar todos os dias.
  • Responda (quase) sempre: não deixe de responder às pessoas que interagirem com a página, seja essa interação positiva ou negativa. Se for positiva, curta e/ou agradeça. Se for negativa, você pode convidar o autor publicamente para discutir a questão de forma reservada – seja via mensagem inbox, e-mail ou telefone. Neste caso, uma reação imediata e o empenho para resolver o problema do reclamante é fundamental. Esta recomendação vale no caso de críticas negativas, não de ataques.
  • Saiba identificar os trolls: são usuários que enviam mensagens inflamadas, estranhas, muitas vezes sem relação ao tema do post nos momentos mais desconexos. Podem utilizar queixas provocativas, palavrões, exposição pessoal de funcionários, entre outros conteúdos agressivos. Estes podem sim ignorados ou excluídos e, em casos persistentes, é possível denunciar os autores para canais específicos para este fim nas próprias mídias sociais.
  • Não apague os comentários (com exceção dos trolls): principalmente antes de solucionar a questão. Após a resolução de um problema, você pode até sugerir ao reclamante para apagar o comentário realizado, mas essa é uma atitude que só cabe a ele tomar.

Para facilitar, é possível seguir uma classificação dos comentários:

  • Nível 1: comentário positivo
  • Nível 2: comentário neutro
  • Nível 3: comentário negativo – responder
  • Nível 4: comentário negativo – ignorar
  • Nível 5: comentário negativo – remover
  • Nível 6: comentário crítico

Clique aqui, e confira uma tabela explicativa que poderá lhe ajudar nesta tarefa.

Seguindo estas dicas, seu escritório pode se aventurar – sem medo – na onda das redes sociais.

* Juliana Leão é consultora da Markle Comunicação e especialista em Marketing Jurídico.

Os consultores da Markle possuem mais de 10 anos de experiência em renomados escritórios de advocacia e estão aptos a prestar assistência para as bancas na organização de eventos internos e externos e na divulgação da participação dos advogados em eventos relevantes para os setores que atuam.

Para obter mais informações sobre marketing jurídico siga a página da Markle Comunicação e Marketing Jurídico no LinkedIn, acesse o nosso Blog e visite o site: http://www.markle.com.br.

Dicas para aumentar a visibilidade do seu escritório no LinkedIn

O LinkedIn possui mais de 30 milhões de usuários registrados, abrangendo mais de 150 indústrias.

Existem dois tipos de perfis disponíveis na rede: o pessoal e o empresarial.

O perfil pessoal permite que o usuário crie uma página onde pode listar suas atividades profissionais, construir conexões, receber e dar recomendações para outros usuários, prestar assistência a outros usuários e participar de grupos de discussão. Essa conta obriga o usuário a publicar informações voltadas para a divulgação de atividades individuais como, por exemplo, sua formação acadêmica, emprego atual, histórico profissional, experiência, publicações, cursos, idiomas, competências e especialidades que o usuário adquiriu ao longo da carreira.

Ao contrário do perfil pessoal, que serve especificamente para indivíduos publicarem seus currículos, o empresarial possui ferramentas diferenciadas que ajudam as empresas a destacar suas atividades, oferecendo assim conteúdo direcionado aos seus seguidores e melhorando sua visibilidade. Nas páginas empresariais o escritório pode publicar informações detalhadas sobre o site, setor de atuação, tipo e tamanho do escritório, histórico, quantidade de integrantes, descrição dos serviços oferecidos, fotos e vídeos, estratégias e estatísticas.

Apesar das vantagens apresentadas, o LinkedIn possui limitações. A rede não permite a personalização da aparência e das funcionalidades dos perfis dos escritórios. Todos são variações pequenas de um único modelo. Isso mostra que o LinkedIn é uma rede social construída para indivíduos, não para empresas. Nesse contexto, a empresa é apenas o denominador comum compartilhado pelos integrantes da mesma. É difícil usar o LinkedIn para alavancar o perfil do escritório ou para engajar os clientes de forma substancial. A rede não oferece aos escritórios mais funcionalidades do que a que eles podem obter através do próprio site, que normalmente transmite informações em um formato mais envolvente e único.

Seguem 9 dicas para criar uma página empresarial para o seu escritório no LinkedIn:

1. Crie um perfil completo e atraente. Use palavras-chave que podem ser empregadas na busca pelo seu escritório.

2. Crie uma página empresarial.

3. Incentive todos os advogados do seu escritório a criar um perfil na rede.

4. Faça recomendações para as suas conexões para descobrir como elas funcionam. Normamente as pessoas retribuem enviando recomendações para a página do escritório. Isso ajuda a criar credibilidade e é uma boa maneira de se conectar as pessoas.

5. Participe de diversos grupos de discussão e pense em grupos que você gostaria de criar. É importante observar como os grupos funcionam antes de começar suas atividades. Escute antes de dar opinião e tente ser prestativo.

6. Responda as perguntas do LinkedIn para compartilhar seu conhecimento e construir a sua marca.

7. Adicione 12 novas conexões usando a busca avançada com o objetivo de ter mais 500. É importante não adicionar muitas pessoas que você não conhece, prefira sempre convidar conhecidos para evitar receber punições do LinkedIn.

8. Peça apresentações para a suas conexões.

9. Use o Google Analytics para monitorar as referências do LinkedIn ao seu site e observe os níveis de engajamento, como o tempo gasto pelos visitantes no site, páginas visitadas, entre outras informações.

Etiquetado , , , ,
%d blogueiros gostam disto: