Arquivo da tag: Google

Como produzir conteúdo relevante para seus clientes

A maioria já ouviu falar do marketing de conteúdo, mas poucos questionam porque existe tanto burburinho sobre o tema. Atualmente a produção de conteúdo por escritórios de advocacia e advogados é uma das melhores estratégias para manter os clientes satisfeitos e conquistar novos negócios.

Sem indicação prévia seu potencial cliente não vai buscar pelo nome do escritório ou de um advogado no Google. Ele vai procurar por assuntos jurídicos que possam ajudá-lo a esclarecer questões do dia a dia e ao encontrar informações relevantes publicadas na Internet (mídia, site, redes sociais, blogs, etc.) entrará em contato com o autor do texto ou com o escritório responsável pela produção daquelas informações.

A acirrada concorrência entre as bancas na busca por novos clientes não permite que os escritórios se deem ao luxo de ignorar uma ferramenta de marketing tão valiosa.

Confira abaixo dicas que irão facilitar a busca por temas relevantes e impulsionar a produção de conteúdo do seu escritório.

  • Participe de grupos do LinkedIn

Existem grupos excelentes onde você pode encontrar tendências e novidades área jurídica. Busque por grupos de discussão dentro da sua área de atuação e verifique quais são os assuntos mais comentados. Leia diariamente os updates. Eles podem gerar temas interessantes para a produção de um artigo para o seu site ou blog.

  • Publique informações no Pulse

Originalmente limitado aos influenciadores o aplicativo Pulse (agregador de conteúdo) do LinkedIn foi liberado para os usuários da rede. Agora ele permite que todos compartilhem seus próprios artigos para conquistar maior visibilidade. Os autores que usam o Pulse promovem o compartilhamento de conhecimentos, experiências e habilidades especiais com suas conexões; se posicionam como especialistas sobre um tema específico; desenvolvem sua rede conquistando novas conexões e atraem público para o site ou blog através dos links publicados nos artigos postados.

  • Crie alertas do Google

Serviço gratuito de busca por palavras chave que entrega a informação no seu e-mail. O ideal é configurar os alertas para o envio “quando disponível”. Dessa forma é possível divulgar imediatamente uma novidade da sua área de atuação na tentativa de ser o primeiro a falar sobre o assunto. Também é importante criar alternativas para cada alerta, monitorar notícias na sua cidade e estado, ações judiciais, recursos, processos e particularidades da sua área. Quanto maior o volume de informação recebido, maiores as chances de encontrar assuntos relevantes.

  • Invista em temas populares

Use o Google Analytics para saber quais artigos publicados atraíram a maior quantidade de leitores para o seu site ou blog. Para ter acesso a informação basta instalar o Analytics no site, entrar no relatório detalhamento do conteúdo localizado em Comportamento/Conteúdo do Site. Ao acessar os dados você vai visualizar quais artigos e posts tiveram mais page views. Esses são os assuntos que devem ser explorados novamente.

  • Use o Twitter como fonte de informação

Crie uma conta no Twitter e siga os principais jornais, portais e órgãos jurídicos, publicações e guias relevantes na sua área de atuação, entre outros. Ao invés de perder tempo entrando em vários sites para obter a informação necessária você consegue encontrar o conteúdo desejado ao acessar sua timeline na rede. Seguir seus clientes também é fundamental para obter informações sobre suas atividades e interesses.

Para obter mais informações sobre marketing jurídico siga a página da Markle Comunicação e Marketing Jurídico no LinkedIn.

Também estamos com visual novo! Nosso site foi totalmente repaginado. Faça uma visita e confira: http://www.markle.com.br

Anúncios
Etiquetado , , , , , , , , ,

Clientes e a busca por serviços jurídicos

A forma mais tradicional de encontrar advogados ainda é através da indicação de pessoas conhecidas. Uma pesquisa encomendada pelo escritório americano Moses & Rooth mostra que a maioria das pessoas (34,6%) recorre à indicação de conhecidos antes de contratar serviços jurídicos. O número de clientes que procuram por advogados através das redes sociais ainda é pouco significativo. O estudo realizado com 1.183 pessoas afirma que apenas 2,1% dos potenciais clientes utilizam as redes sociais na busca por advogados. Os outros 41,4% optam pelos anuários jurídicos impressos e outros sites disponíveis na Internet.

Como os sites de busca são bastante utilizados é importante que os escritórios divulguem nas informações publicadas em seus sites os serviços oferecidos, pontos fortes e especialidades pelas quais desejam ser encontrados. As áreas de atuação e biografias são os dados mais relevantes para futuros clientes que pretendem contratar serviços jurídicos.

Conforme apontado na pesquisa do Moses & Rooth, as redes sociais possuem menos importância na busca, mas essas ferramentas aumentam o alcance das informações publicadas no site e podem auxiliar a pesquisa. Ter um site não é suficiente, ele deve ser divulgado na web para garantir que as pessoas irão encontrar seu escritório entre os concorrentes.

Normamente, quando um cliente acha na Internet um advogado que atenda as suas expectativas, antes de contratar seus serviços, ele pesquisa por artigos ou posts de autoria do profissional localizado, a fim de confirmar sua experiência e conhecimento nas áreas onde busca assessoria. A informação complementar é a cereja do bolo.

Atualmente, os escritórios não podem se dar ao luxo de perder o expressivo volume de potenciais clientes que acessam a Internet para encontrar serviços jurídicos. Investir na imagem do seu escritório on-line pode ser uma ótima forma de captação.

Etiquetado , , , , , , , , ,

Redes sociais: qual é a mais indicada para divulgar informações jurídicas?

Grande parte dos escritórios de advocacia brasileiros não utilizam as redes sociais para divulgar suas atividades na Internet, e os que estão presentes nas redes, utilizam as ferramentas de forma equivocada. Isso acontece devido à falta de experiência dos escritórios relacionada ao uso das redes sociais. A presença nas redes pode ajudá-los a aumentar sua visibilidade na Internet, gerar tráfego para o site através dos links postados, incentivar os clientes a participar das atividades do escritório, tirar dúvidas rápidas, entre outras vantagens.
Das redes disponíveis, o Linkedin é a mais popular entre os escritórios e os advogados, pois é uma rede social voltada para pessoas que estão inseridas no mercado de trabalho e a sua principal função é promover o networking. O Linkedin oferece espaços onde advogados e escritórios podem criar perfis, descrever suas atividades e disponibilizar seus contatos. Isso faz com que o cliente tenha acesso ao perfil do advogado, as informações institucionais do escritório e as áreas de atuação de ambos. O Linkedin também permite que clientes satisfeitos possam fazer recomendações.
Apesar das vantagens apresentadas, o Linkedin possui limitações. A rede não permite a personalização da aparência e das funcionalidades dos perfis dos escritórios. Todos são variações pequenas de um único modelo. Isso mostra que o Linkedin é uma rede social construída para indivíduos, não para empresas. Nesse contexto, a empresa é apenas o denominador comum compartilhado pelos integrantes da mesma. É difícil usar o Linkedin para alavancar o perfil do escritório ou para engajar os clientes de forma substancial. A rede não oferece aos escritórios mais funcionalidades do que a que eles podem obter através do próprio site, que normalmente transmite informações em um formato mais envolvente e único. Apesar do Linkedin não proporcionar muitas vantagens para os escritórios, é importante que eles mantenham um perfil na rede para evitar que seus advogados com contas na rede fiquem “órfãos”.
Diferente do Linkedin, o Facebook, rede adotada pelas empresas como ferramenta fundamental na construção do engajamento com o cliente, continua sendo uma incógnita no mundo jurídico. Há uma explicação lógica para essa escolha. O Linkedin reflete a tradicional rede de negócios, enquanto o Facebook é visto como uma rede pessoal, um lugar onde é mais provável interagir com os amigos, ao invés de buscar serviços legais. Os escritórios ainda não se convenceram dos benefícios que o uso do Facebook pode proporcionar. Criar uma página na rede pode ser uma forma de divulgar o escritório, as áreas de prática e serviços oferecidos para potenciais clientes, além de manter as informações atualizadas para os clientes do escritório que são usuários da rede. Muitos citam a falta de resultados tangíveis como um argumento-chave contra a adoção de uma página na rede. No entanto, alguns benefícios não podem ser ignorados. A participação ativa na rede pode gerar o aumento da percepção da marca. Ao citar os integrantes do escritório na página do Facebook e postar conteúdo relacionado à equipe o escritório pode aumentar seu alcance, ganhar boa reputação e gerar confiança perante potenciais clientes. A atividade no Facebook gera maior impacto em rankings de mecanismos de busca como o Google. Isso significa que ao relacionar o site do escritório com a página do Facebook os escritórios podem aumentar a visibilidade online.
Atualmente a competição entre os escritórios é grande, por isso ter “likes” de clientes, conhecidos, amigos e familiares na página do Facebook pode ser positivo. Isso significa que estas pessoas estão dizendo para seus contatos que o escritório realiza um trabalho de qualidade. Ao criar uma página no Facebook para o seu escritório de advocacia, cria-se uma rede virtual de clientes e simpatizantes capazes de compartilhar informações e experiências em um fórum aberto. Por sua vez, isso irá aumentar a lealdade dos clientes e gerar feedback positivo para o escritório. Além disso, o escritório pode controlar os feedbacks postados, caso eles sejam negativos. Além do número de fãs, os escritórios de advocacia devem se concentrar em como aumentar o engajamento e a conversação. Eles devem direcionar sua atenção para o público que interage com a sua página do Facebook, pois apesar de positiva, a quantidade de “likes” não significa mais comprometimento.
Atualmente, as empresas utilizam o Twitter para divulgar suas atividades e serviços para clientes. Os escritórios de advocacia também participam com o mesmo intuito, mas segundo Jordan Furlong, advogado e consultor sênior da Stem Legal Web no Canadá, a estratégia utilizada é pouco eficiente. O advogado acredita que a maioria dos escritórios erra ao criar o perfil e não postar conteúdo ou postar apenas informações relevantes para o escritório. Para obter sucesso na rede os escritórios devem publicar conteúdo voltado para os clientes e não noticias e informações apenas sobre suas atividades e as atividades de seus advogados. As publicações devem focar em links para matérias, artigos e pesquisas relevantes para a indústria em que o cliente está inserido ou divulgar eventos e oportunidades de mercado que adicionem valor a esse público.
O fator mais importante não é saber qual é a rede social mais indicada para divulgar informações jurídicas. O que faz a diferença é compreender a funcionalidade de cada uma delas e a partir disso elaborar um plano de ação adequado. Participar das redes sociais sem um planejamento de marketing específico pode ter o efeito oposto, prejudicando a imagem do escritório, passando a mensagem errada para o público alvo.

Etiquetado , , , , , , , , ,
Anúncios
%d blogueiros gostam disto: